7 dicas de ouro que poderão fazer você economizar no seu imposto de renda! – Roma Business Consulting

7 dicas de ouro que poderão fazer você economizar no seu imposto de renda!

7 dicas de ouro que poderão fazer você economizar no seu imposto de renda!

Autora: Rosane Machado*

Nesta época, muitas são as dúvidas de como declarar seu imposto de renda, todos os anos inúmeros são os casos de declarações que caem na malha fina por erros simples de preenchimento ou por interpretação errada de informações. Existem casos de pagamento de imposto a maior ou restituição a menor por falta de conhecimento do que pode ser ou não abatido.
Existem deduções legais que permitem que você pague menos imposto, basta saber como e onde declarar.

Pensando nisso, preparei estas dicas essenciais para quem deseja declarar seu imposto de renda 2019 corretamente, sem surpresas futuras e pagando o imposto justo a ser gerado.

# Gastos com educação e despesas médicas: Os desembolsos com educação do titular ou dependentes podem ser deduzidos e auxiliar na redução do imposto devido. Os gastos possíveis de abatimento incluem a educação infantil, compreendendo as creches e as pré-escolas; ensino fundamental; ensino médio; educação superior, compreendendo os cursos de graduação e de pós-graduação (mestrado, doutorado e especialização); educação profissional, compreendendo o ensino técnico e o tecnológico, o limite para abatimento dos gastos com educação é de R$ 3.561,50;

# Despesas Médicas: podem ser abatidos todos os gastos em 2018 com consultas, exames, aparelhos ortopédicos, tratamentos dentários, plano de saúde, hospitais, cirurgias, próteses inclusive dentárias, dentre outras. De qualquer especialidade inclusive: terapeutas, dentistas, nutricionistas. Para usufruir do benefício, é necessário documento fiscal de comprovação dos valores gastos. As despesas com aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias devem ser comprovadas com receituário médico ou odontológico e nota fiscal em nome do beneficiário. As despesas médicas não possuem limite de abatimento;

# Dependentes com ou sem pensão alimentícia: Despesas com dependentes podem ser deduzidas, inclusive desembolso com a pensão alimentícia. Organize com cuidado toda a documentação dos dependentes, dentre elas: recibos médicos, valores pagos a plano de saúde, despesas com educação e pagamento de pensão alimentícia (recibos, comprovantes de transferências e cópia do acordo feito com ex-cônjuge). Não esqueça de nada que foi desembolsado em 2018. O profissional que fará sua declaração irá selecionar o que é possível de ser abatido. Não esqueça de enviar a cópia do RG e CPF dos dependentes, já que neste ano é obrigatória a informação do número de CPF do dependente independentemente da idade. Não há limite para dedução da pensão alimentícia, já o limite de dedução por dependente é de R$ 2.275,08;

# Pagamentos para a Previdência Social, Complementar e Fundos: Todos os desembolsos com a previdência podem ser deduzidos da base de cálculo do imposto de renda, respeitando regras e limites legais. Dentre eles, pagamentos de guias de autônomo, completo de guia da previdência social (INSS de Microempreendedor individual – MEI), Contribuições aos Fundos de Aposentadoria Programada Individual (FAPI) e valores pagos a previdência complementar pública (servidor). Não há limite de abatimento destes valores;

# Autônomos, motorista de aplicativos, médicos e outros profissionais liberais: Estes profissionais contam com o benefício da declaração com o uso do livro caixa. A utilização deste permite o abatimento de todos os gastos diretamente relacionados com a atividade do prestador. Os gastos devem ser comprovados com documentação fiscal, o que deduz a base do imposto a ser gerado. Para os motoristas de aplicativo que não possuem toda a documentação fiscal dos gastos, pode-se ainda abater diretamente da base 40% dos rendimentos. Além disso, existe a obrigatoriedade do recolhimento mensal do IRPF com o carnê-leão;

# Venda de Bens – Imposto sobre o ganho de capital: Transações de compra e venda de bens móveis e imóveis devem ser declaradas em seu imposto de renda. Para a declaração da venda de bens móveis é possível isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital obtido de imóveis residenciais, caso a opção seja adquirir ou construir um novo bem em outro imóvel residencial localizado no País, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda. Este é um item de muita atenção na declaração, já que existem inúmeros casos de pagamentos indevidos de imposto sobre o ganho de capital por erros de preenchimento, por isso esteja atento e procure um profissional especializado;

# Se organize e antecipe e entregue sua declaração em março: organize sua documentação e contrate um especialista da RomaBC ainda em março, além de garantir excelentes descontos na contratação para este mês, você garantirá o recebimento antecipado da restituição do seu imposto. Neste ano o resultado do processamento poderá ser analisado pelo seu contador em dois dias e com isto, será possível avaliar como a Receita recebeu seus dados e complementar informações se forem necessárias.

Solicite auxílio a um profissional especializado que irá orientá-lo, evitando riscos e reduzindo o próprio imposto a ser gerado. Conte com o apoio da RomaBC, somos especialistas em gestão de impostos, contamos com um processo totalmente digital, parcelamento no cartão e desconto para convênios.

Entre em contato conosco pelo nosso WhatsApp (51) 99528-9900 ou pelo e-mail irpf@romabc.com.br

 

>>>>> FIQUE LIGADO (informações adicionais):

O prazo legal para declaração do IRPF 2019|2018 é 30 de abril de 2019, economize e organize sua entrega antecipada, com tempo e organização será ainda mais fácil encontrar soluções para que sua declaração seja processada com todos os benefícios possíveis. Quanto mais cedo você enviar sua declaração, mais cedo receberá sua restituição.

A obrigatoriedade de entrega é para quem, em 2018:

I) Recebeu rendimentos tributáveis anuais de R$ 28.559,70;
II) Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00;
III) Realizou em qualquer mês venda de bens ou direitos em que foi apurado ganho de capital, sujeito à incidência do imposto; ou operações em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
IV) Teve a posse ou a propriedade de bens ou direitos, em 31/12/2018, inclusive terra nua, cujo valor total foi superior a R$ 300.000,00;
V) Passou à condição de residente no Brasil e encontrava-se nessa condição em 31 de dezembro.
VI) Relativamente à atividade rural, com o preenchimento do Demonstrativo da Atividade Rural:
– Obteve receita bruta superior a R$ 142.798,50; ou
– Pretenda compensar, no ano-calendário de 2018 ou posteriores, prejuízos de anos calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2018;
VII) Optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda, nos termos do art. 39 da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005.

Dispensa

A pessoa física que se enquadrou em qualquer das hipóteses previstas nos itens I a VII acima fica dispensada de apresentar a declaração se constar como dependente em declaração apresentada por outra pessoa física, na qual sejam informados seus rendimentos, bens e direitos, caso os possua.

Fonte: Receita Federal do Brasil, 2019.

>>>> Sobre a autora:

** Rosane Machado: É consultora empresarial, palestrante, contadora e mestre em Ciências Contábeis. Possui larga experiência na área de contabilidade gerencial, com ênfase em gestão estratégica de custos, gestão de riscos, gestão patrimonial tributária e controladoria. Atuou em empresas multinacionais, na área de gestão e controladoria. Atuou como professora de graduação presencial e EAD em Universidades como: Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS, Centro universitário FEEVALE, Faculdades Monteiro Lobato, entre outras. Foi Coordenadora do Curso de Ciências Contábeis e do Núcleo de Apoio Fiscal- NAF (projeto em parceria com a Receita Federal). Participou do grupo de pesquisa Gestão de Tecnologia da Informação (GTI); É autora de artigos científicos e livros na área de contabilidade gerencial e Internacional (IFRS). Atualmente é consultora e diretora da Roma Bussiness Consulting, professora de pós-graduação (MBAs) na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS); UNILASALLE; UNIRITER; FAPA e ULBRA, nas áreas de contabilidade gerencial, societária, internacional (IFRS), administração financeira e palestrante de cursos de curta duração (extensão) em diferentes instituições, entre elas: ACI, ACIS, CIC, SULPETRO e ABRASEL.